sexta-feira, 25 de abril de 2014

Eu sou mais Superti e Adelma para a Reitoria da UNIFAP


A campanha para a Reitoria da UNIFAP começou e a comunidade acadêmica anseia por conhecer as propostas dos candidatos. São 5 chapas inscritas, o que promete uma boa disputa!

E como em toda Eleição, temos candidatos que se destacam.
Nesta campanha, a Chapa 2, composta pelas Professoras Superti e Adelma são as que apresentam as melhores propostas e estão mais preparadas para administrar a Universidade pelos próximos 4 anos.

E esta preferência já ecoa nos corredores da UNIFAP.

Hoje, trago um texto do Prof Dr Jadson Porto que declara seu apoio à chapa 2 e retrata porque a Professora Superti é a melhor candidata!

>>>>>>>>>>

A Universidade Federal do Amapa se encontra em um momento que diz respeito a escolha de seu gestor, o(a) reitor(a). Lembro que já passamos pela fase de reitor pró-tempore e agora temos a oportunidade de selecionarmos aquele(a) que acreditamos ser o (a) melhor. Isso é muito bom.

Acredito que dentre os candidatos, a que melhor possui condições para executar tal tarefa é a Dr. Eliane Superti. Seu currículo acadêmico (Graduada, mestrado e doutorado em Ciências Sociais e  pós-doutorado em Ciência Política; e avaliadora de cursos de graduação do banco BASIS/MEC) permite avaliar as condições sociais e políticas de nossa instituição.

Tem visitado várias instituições pelo país como avaliadora de banca de mestrado e doutorado, fornecendo a ela a experiência científica necessária para não ser uma mera administradora.

Como avaliadora do MEC, expõe a credibilidade que o Ministério possui em seu nome para avaliar e orientar as melhores condições para se construir e consolidar os cursos por onde ela visitou.

Como ex-Pró-Reitora de Graduação, a capacita para consolidar uma construção de uma universidade sólida e organizada, pois não vivenciou somente o gabinete em Macapá, mas percorreu e participou na construção da interiorização da Unifap.

Como professora de Pós-graduação, conhece profundamente as discussões teóricas e investigativas sobre o Amapá. E tem participado de projetos de pesquisa com investigadores locais, nacionais e internacionais.

Estes são alguns dos motivos para depositar meu voto de confiança em Eliane Superti.



Professor Jadson Porto
Pós-doutor em Desenvolvimento Regional




segunda-feira, 31 de março de 2014

CAMPANHA PARA REITORIA NA UNIFAP E A INDIGNAÇÃO DE UMA PROFESSORA

Hoje abro espaço no blog para uma colega professora da UNIFAP. A Dra Eliane Superti, professora do Curso de Ciências Sociais, expõe seus sentimentos sobre o momento político e os ataques que vem sofrendo de candidatos ao cargo de reitor.



------------------------------------------------------
A UNIFAP – assim mesmo, com letras maiúsculas! - é mais importante que partidos e grupos políticos. A UNIFAP é um espaço de propostas, de construção, de olhar para o futuro do nosso Amapá. Amapá de TODOS.

Não é de meu perfil usar meios públicos como este para tratar de ataques sofridos. Mas também é preciso se levantar contra a injustiça. É de causar indignação a campanha que vem maculando minha imagem e minha história acadêmica que setores da imprensa, em especial ligados a posições político-partidárias e setores administrativos fora da UNIFAP, estão usando para me atacar. QUAL É O PROPÓSITO DISSO?

Em nenhum momento usei a imprensa para me promover como pré-candidata à reitoria da UNIFAP. Não acredito em cartas marcadas. O processo ainda não foi deflagrado. QUAL O PROPÓSITO DE TAL ANTECIPAÇÃO? Vamos com calma... O processo de construção das propostas – positivas e construtivas! – para uma futura candidatura está sendo feito internamente com seriedade e respeito à comunidade UNIFAPiana.  

Sou professora desta instituição há bons e felizes anos, e desde que aqui cheguei tenho dedicado todos os meus esforços pela nossa universidade e pelo estado do Amapá.
Qualquer olhar rápido em meu currículo ou conversa com meus alunos podem confirmar isso.. Tenho experiência na elaboração de projetos pedagógicos pela vivência há mais de uma década, como gestora de instituições de ensino superior e pela preparação e experiência como avaliadora de curso e de instituições pelo INEP/MEC.

Como se vê, não estamos aqui por acaso, não nos tornamos professores a partir do nada ou de alguém, não é? Por acreditar no mérito como fruto do esforço pessoal, princípio de toda instituição de ensino superior creio que é preciso respeitar a todos, sem diferenciação.  Sou professora formadora do projeto de recepção de novos docentes da UNIFAP há três anos quando o projeto iniciou. Fui CONVIDADA para tal. E digo mais: sou entusiasta deste projeto por acreditar na necessidade de integração e recepção daqueles que somarão na UNIFAP para torná-la um espaço de excelência no ensino, pesquisa e extensão. 

Fui convidada, mais uma vez, no início deste ano para participar como docente. Convite este feito em fevereiro e prontamente aceito – como sempre, estou ao dispor da nossa UNIFAP. Mas, por questões administrativas, sobre as quais não tenho nenhuma ingerência, a data de execução do o projeto foi alterada. Sou contra a discórdia e jogo político baixo.
Fico preocupada com desespero pelo poder que cega e que promove a todo custo ações no sentido de destruir minha trajetória dentro da UNIFAP.

Independentemente dessas discussões, que não dizem nada a respeito de propostas e ao futuro da nossa UNIFAP, tenho certeza que em nenhum momento usei desse espaço para campanha eleitoral.  Respeito a UNIFAP e, acima de tudo, respeito aqueles que compartilham comigo o espaço da aprendizagem, sejam eles alunos, professores ou técnicos. É a minha paixão, o meu compromisso. Para mim, são pessoas (acima de tudo!) conscientes e uma única palestra não será capaz de lhes dizer o que pensar e como interpretar a realidade no seu entorno...  Desse modo, fazer campanhas de baixo nível, para me impedir de realizar uma atividade sempre feita com zelo, significa subestimar as pessoas que ali estão pelo MÉRITO.
Àqueles que usam de expedientes difamatórios para me atacar aviso: não conseguirão! Minha história e minha dedicação para com esta instituição vão muito além dos objetivos escusos de grupos partidários e muito acima do jogo político que querem fazer com a UNIFAP.  

Sou uma militante da educação e serei sempre uma defensora da política construtiva, positiva e propositiva, em que o debate franco e aberto é o que mais importa. NÃO PACTUO COM A PRÁTICA DE NOTINHAS EM SITES E BLOGS COM O INTUITO DE DENEGRIR E ATACAR E, PRINCIPALMENTE, DE BENEFICIAR ALGUNS GRUPOS.

Vamos discutir o futuro, as propostas, a UNIFAP com letras maiúsculas? Quem tem propostas? Quem tem medo das propostas? É um privilégio estar ao dispor da nossa universidade, do nosso Amapá, e mais que tudo, de vocês, meus amigos!

Afirmo que agora, mais do que nunca, MEU DESEJO DE AJUDAR A MELHORAR A UNIFAP SE FORTALECEU. E diferentemente das pessoas que fazem de tudo PARA JOGAR O NOME DE NOSSA INSTITUIÇÃO NA VALA COMUM, DENEGRINDO-A, eu e tantos outros professores, alunos, técnicos e servidores, que já nos empenhamos com afinco para o seu engrandecimento, vamos travar o SÉRIO  E RESPEITOSO debate e, jamais, compactuando com a política da difamação e com o trampolim que certos partidos políticos querem fazer da UNIFAP.


Reafirmando que a UNIFAP é mais importante que qualquer partido ou grupo político,  peço a todos os amigos que não respondam mais a estes ataques e deixemos que a comunidade acadêmica, com a sabedoria e discernimento que lhe é peculiar, saiba separar o joio do trigo.

Profa Dra Eliane Superti

sábado, 15 de março de 2014

O QUE EU ESPERO DO EVENTO DE INAUGURAÇÃO DA BANDA LARGA NO AMAPÁ?

Todo projeto de grande repercussão técnica, acadêmica e/ou política, atrai apaixonados pelo tema, e em alguns casos, dada a relevância do objeto a ser pesquisado, torna o debate acalorado. Hoje, a relevância do evento de “Inauguração da Banda Larga no Amapá” trouxe à tona a paixão e envolvimento da população amapaense, que anseia por um direito social que há tempos vem sendo sonhado. Antes de 2013-2014 o máximo que poderíamos falar sobre Banda Larga, seria uma referência a largura do nosso Rio Amazonas às margens da orla macapaense.

O projeto apresentado pelo Governo do Estado do Amapá além de bem intencionado, tem forte justificativa técnica e social. É fato que a dificuldade de acesso à internet no estado do Amapá é grande. Portanto, essa diversidade impõe à sociedade a exclusão social e tecnológica, restringindo o acesso de qualidade para que usuários naveguem na rede mundial de computadores, empresas ficam limitadas para investir na gestão da informação e no marketing digital, entre outros entraves, que promovem um atraso no desenvolvimento econômico, social e tecnológico no estado do Amapá.

Porém, para um projeto de tal envergadura e impacto no desenvolvimento do estado do Amapá, boa intenção e justifica social não é o suficiente. Trago alguns aspectos, que usarei de forma didática para explanar detalhes do projeto da Empresa Oi.

Tomo como referência o Linhão de Tucuruí, no qual a sustentação dos cabos de fibra ótica é feita por torres de até 300 metros de altura, para interligar os 1.811 quilômetros de extensão pelo meio da Amazônia. Tal altura, como bem ilustra a foto abaixo ultrapassa a copa das mais altas árvores do percurso que segue o cabeamento.


Busquei comparar o Projeto do Linhão de Tucuruí com a estrutura utilizada pela Empresa Oi para sustentar os cerca de 450 quilômetros de seu cabeamento de fibra ótica, compreendido entre o município de Calçoene, passando pelo município do Oiapoque até Cayenne na Guiana Francesa. Conforme ilustram as fotos abaixo, a Empresa Oi adotou o uso de postes comuns de distribuição e iluminação, com altura entre 6 e 12 metros, que em muitas trechos do referido percurso, sequer ultrapassam a copa das árvores, com o risco eminente de ruptura do cabo.

 



Outro aspecto a ser destacado tecnicamente é a questão da redundância. Didaticamente falando, cabe a pergunta: Caso uma árvore caia e provoque o rompimento da Fibra Ótica, qual o tempo para recuperar o serviço e qual será a estratégia para acessar os mais remotos locais de acesso à fibra ótica, estabelecidos para o projeto?

Sobre a expressão que intitula o evento “Inauguração da Banda Larga”, que remete ao ineditismo do projeto, opino que os provedores de internet que utilizam frequência de Rádio e o Linhão de Tucurí, já oferecem o produto mercadologicamente denominado Banda Larga.

Portanto, considerando a importância do evento que ocorrerá no próximo dia 17/03, exponho o que de fato eu espero do evento. Que apresente à população amapaense explanações e respostas concretas que mostrem como o GEA propõe utilizar o potencial deste projeto para o desenvolvimento do estado do Amapá.

Listei algumas questões que considero importantes que sejam respondidas pelo GEA/PRODAP, pela Empresa Oi e por Políticos do Estado do Amapá:

Pergunto ao GEA:

1. Onde está o Plano Diretor ou o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação do PRODAP/GEA para a gestão 2010-2014?

2. Quais os projetos para uso da Banda Larga estão previstos pelo GEA?

3. Qual o plano de capacitação dos profissionais de TI que atuam no PRODAP para que possam potencializar o uso da Banda Larga?

4. O GEA, antes de optar pela Empresa Oi como parceira no Projeto, ouviu outros provedores de internet do estado do Amapá?

5. Quantos empregos diretos a Empresa Oi possibilitará para o estado do Amapá?


Pergunto a Empresa Oi:

1.      Por que a Empresa Oi demorou tanto tempo e precisou de tanto incentivo para implantar o projeto de Banda Larga no Amapá, considerando que já utiliza recursos públicos do BNDES?

2.      Quais as iniciativas da Empresa Oi de cunho social para com o projeto no Amapá?

3.      Quais os preços e serviços agregados como TV a cabo e capacidade de banda para atender grandes demandas como a da Unifap de 1 Gbps?

4.      Qual o plano de ação que a Empresa Oi irá adotar para manter o cabeamento de fibra ótica ativo?


Pergunto aos Políticos do Amapá:

1. Ao invés de querer ser pai do projeto, como os Deputados e Senadores planejaram suas emendas parlamentares para potencializar o uso da Banda Larga no Amapá?

2. Como os postulantes ao GEA analisam o projeto de Banda Larga e quais as metas que pretendem apresentar para a gestão 2015-2018?


Tenho certeza que se o Governador Camilo Capiberibe ou o Presidente do Prodap Alipio Jr, tiverem acesso à estas perguntas, poderão respondê-las. E estarei presente no evento por ouvir as respostas.

Sobre a tão cobiçada paternidade da Banda Larga, opino que este projeto não possui um Pai. Penso que os elogios sim, devem ser destinados ao Alipio Jr pela coragem e compromisso com o projeto proposto pelo GEA desde o inicio da sua gestão à frente do PRODAP em 2010.

Como cidadão deixo aqui meu relato e a certeza que o Amapá é um estado em pleno desenvolvimento, com potencial para se tornar referência em Tecnologia da Informação. Cabe aos gestores ações que priorizem a técnica, em detrimento a resultados que só se sustentam pelo convencimento midiático.

Como professor, cumpro meu papel de estimular o debate e de apresentar argumentos que possam subsidiar a compreensão do tema em questão. Espero que colegas profissionais da área de Tecnologia da Informação, usuários de internet e interessados pelo tema possam contribuir com o debate.

E você leitor, o que espera o evento de Inauguração da Banda Larga?


Quais suas expectativas para desenvolvimento do Amapá com os inúmeros projetos que podem ser potencializados com uma internet de melhor qualidade?

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Encerramento da 1a Turma do Projeto UNIFAPDIGITAL







É com grande orgulho e alegria que neste dia 28/01 concluiremos com chave de ouro e muitos bits e bytes a mais na bagagem, as aulas da Primeira Turma do Projeto de Extensão UNIFAPDIGITAL.

Este projeto é um sonho meu que se realizou!

Com recurso do MCT, ementa parlamentar da Dep Janete Capiberibe (temos que dar nome aos que colaboram com a Educação e a Pesquisa no Amapá) conseguimos montar 3 telecentros e ampliar o parque tecnológico do Departamento de Informática da Unifap.

Nestes telecentros, iniciamos nosso projeto de extensão UNIFAPDIGITAL, que visa a formação em cursos livres de informática de 150 pessoas carentes da comunidade amapaense, por semestre.

Estes cursos são totalmente gratuitos, com cunho social de ampliar o acesso a tecnologia para quem está excluído digital e socialmente. É nosso dever garantir o acesso a informação e aos recursos tecnológicos. 

A alegria em poder ver nos nossos alunos uma nova motivação pessoal e profissional é gratificante. Seus relatos sobre como este curso resgata a auto-estima e cria uma nova expectativa de realizações profissionais. É maravilhoso poder contribuir de forma tão significante com pessoas tão simples, mas com um valor pessoal tão grande.

Fico grato pela parceria e apoio de todos da Equipe do LIDES (Laboratório de Inclusão Digital e Engenharia de Software).

Nossos instrutores do UNIFAPDIGITAL são todos alunos dos cursos de graduação da Unifap, que com muito esforço e dedicação realizaram um brilhante trabalho como instrutores desta primeira turma. Obrigado e parabéns pelo trabalho realizado. Conto com vocês por pelo menos mais um semestre de atividades e grandes realizações.

Parabéns aos nossos formandos! Temos um encontro marcado no próximo dia 04/3/2011, quando faremos a nossa aula de encerramento e entrega de certificados. Estão todos convidados. Em breve, confirmamos local e horário do evento.

Para maiores informações sobre o projeto, acessem: http://www2.unifap.br/unifapdigital/

Um pouco de Poesia pra matar a saudade da mulher amada!

Este poema representa um pouco do que penso sobre o Amor.
E hoje, curtindo a solidão do doutorado, sozinho em Belém, aproveito pra homenagear minha esposa amada... 

Amar...

É mais um dia que levanta.
E com ele a lembrança de um encontro.
Um encontro movido pela força do acaso.
Vou te contar...

Início... Não teve. Foi amor a primeira vista!
Foi como um fenômeno, sem previsões.
Olhares, toques, carícias...
Movidos pelas batidas do coração.

E depois? Tem uma história?
Está acontecendo... é pura descoberta.
Sonhos, desejos, apelos e aplausos.
Estamos concretizando nossa paixão.

Fim... Não terá. Como assim?
O amor não possui um desfecho.
É uma chama que não se apaga.
Continuaremos unidos no eterno.

by Rafael Pontes Lima

Computador....O brinquedo favorito da criançada!

A criançada tá mesmo mudando seus hábitos. Os brinquedos e brincadeiras já não são mais os mesmos.
Brincar na rua, correr, pique-pega, esconde-esconde, jogar bola com os pés descalços, já são mesmo brincadeiras do passada... A tecnologia e os brinquedos computacionais tomaram conta do imaginário e desejos das crianças nos dias atuais...

Leiam a reportagem da Uol - Tecnologia sobre as preferências e hábitos das crianças hoje.

Segundo pesquisa da AVG (empresa de segurança digital) - “Digital Diaries series” - Crianças aprendem a mexer no computador antes de andar de bicicleta.


Aprender a amarrar o cadarço ou andar de bicicleta não são mais as primeiras lições das crianças. Segundo o estudo “Digital Diaries series” da AVG (empresa de segurança digital), as crianças têm aprendido a mexer no computador antes mesmo de saberem como realizar tarefas simples, comuns a quase todas as crianças do mundo.


O levantamento aponta que 58% das crianças sabem como jogar no computador, enquanto 20% nadam e 25% sabem como andar de bicicleta. Outra conclusão é que 69% delas sabem como usar o mouse, porém apenas 11% amarram o cadarço do tênis.
“Nós ficamos surpresos ao descobrir como a infância das crianças evoluiu. Enquanto boa parte delas não sabe nadar, amarrar o cadarço ou preparar o próprio café da manhã, a maioria sabe como ligar um computador, usar um mouse ou até jogar no computador”, diz o estudo
No que diz respeito à telefonia, o estudo apontou que 28% dos meninos e meninas sabem fazer ligações no celular, mas apenas 20% têm conhecimento de como ligar para um telefone de emergência.
“É verdade que muitos de nós tivemos, durante a infância, televisões e videogames como o Atari. Mas nenhuma dessas distrações mudou tão drasticamente a infância como o computador e a internet têm feito nos últimos anos”, comentou J.R. Smtih, da AVG.
O estudo foi feito com 2.200 mães de dez países (Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Espanha, Japão, Austrália e Nova Zelândia). Todas com filhos de faixa etária de 2 a 5 anos de idade.

Uol-Tecnologia

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Papa faz alerta sobre risco de alienação das redes sociais

As Redes Sociais se tornaram uma realidade mundial rapidamente... e seu alcance já ultrapasse limites religiosos.

Até o Papa já entrou na discussão deste tema. O texto abaixo é a reportagem do site UOL-Tecnologia.

Vale a pena conferir!

Papa faz alerta sobre risco de alienação das redes sociais


CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O Papa Bento 16 expressou aprovação condicional às redes sociais na segunda-feira, elogiando seu potencial mas alertando que amizades online não servem como substituto para contato humano real.

O pontífice de 83 anos, que não tem conta no Facebook, expressou suas opiniões em uma mensagem com um título sério, que poderia funcionar como um tweet: "Verdade, proclamação e autenticidade da vida na era digital."
Ele afirmou que as possibilidades das novas mídias e redes sociais oferecem "uma grande oportunidade", mas alertou sobre os riscos de despersonalização, alienação, falta de autocrítica e sobre o perigo de ter mais amigos virtuais que reais.
"É importante lembrar sempre que o contato virtual não pode e não deve substituir o contato humano real com as pessoas, em todos os níveis de nossas vidas", disse o Papa em mensagem no Dia Mundial da Comunicação da Igreja Católica.
Ele pediu aos usuários de redes sociais para se perguntarem quem são seus vizinhos nesse novo mundo e para que evitem o risco de disponibilidade permanente online acompanhada de "menor presença diante daqueles a quem encontramos em nossa vida cotidiana".
Os vastos horizontes das novas mídias "exigem urgentemente uma séria reflexão sobre a importância da comunicação na era digital", disse.
O papa não mencionou qualquer site ou aplicativo social específico, mas ao longo da mensagem usou frequentemente termos como "compartilhar", "amigos" e "perfis".
Disse também que as redes sociais podem ajudar "o diálogo, o intercâmbio, a solidariedade e a criação de possíveis relacionamentos", mas acrescentou diversos alertas.
"Entrar no ciberespaço pode ser sinal de uma busca autêntica de encontros pessoais com os outros, desde que as pessoas fiquem atentas e evitem perigos como o de se encerrarem em uma espécie de existência paralela, ou de o exposição excessiva ao mundo virtual", disse.
"Na busca de compartilhamento, de 'amigos', há o desafio de ser autêntico e fiel, e de não ceder à ilusão de construir um perfil público artificial", afirmou.